CNTE: paralisação nacional das escolas públicas pela aprovação do Piso Salarial Nacional

Nesta sexta-feira (14/03), a aula nas escolas da rede pública de ensino será nas ruas e o conteúdo será o respeito aos Profissionais da educação básica no país. No dia acontecerá uma paralisação de 24h, para pedir urgência na aprovação do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN) e de mais dois projetos referentes à Profissionalização e à Carreira. Os três em tramitação no Congresso Nacional.

O Brasil vive atualmente a discrepância de praticar 5 mil Pisos Salariais diferentes, tendo em vista o número de municípios, para os profissionais de Educação em todo o território nacional. São realidades que variam de um estado para outro. Em Pernambuco, por exemplo, um profissional com licenciatura plena recebe R$ 315,00 de piso. No Acre, esse pula para R$ 1.400,00. O projeto que estipula o PSPN pretende acabar com esse choque de realidade e estipular um salário digno e compatível com a categoria em nível nacional.

A paralisação desta sexta-feira será a primeira grande mobilização de 2008. Existem em todo o país, mais de 2 milhões de profissionais em educação. Destes, um milhão é filiado à Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), idealizadora do movimento.

Serão realizadas várias atividades em todos os estados. No Distrito Federal, as aulas não serão suspensas. O SINPRO reduzirá o horário nos três turnos de aula. Nos outros estados, a programação abrange atos públicos, assembléias gerais, panfletagem, passeatas e manifestações em geral. A programação completa está no site da CNTE: www.cnte.org.br

Confira os principais eventos nos estados:


Acre:
ato público em frente ao Palácio Rio Branco, a partir das 9h.

Alagoas:
haverá assembléia geral das redes estadual e municipal, às 9h, em Maceió acompanhada de caminhada pelas ruas do centro e ato público no Calçadão do Comércio.

Amazonas:
na maioria dos municípios haverá audiências públicas nas câmaras municipais.
Amapá: concentração em frente ao SINSEPEAP, em Macapá, a partir das 8h.

Bahia:
o movimento vai atingir toda as escolas da rede estadual e municipal.

Ceará:
ato público às 16h, na Praça do Ferreira e audiência publica na Câmara Municipal de Fortaleza e às 14h, na Assembléia Legislativa.

Distrito Federal:
assembléia geral na sede do SAE, no CONIC, às 9h30 tem. Debates nas escolas

Espírito Santo:
ato público na Praça Oito às 9h

Goiás:
toda a rede estadual e municipal vai parar.

Maranhão:
audiência pública na Assembléia Legislativa. Caso seja adiada haverá ato público, às 8h30, no Liceu Maranhense.

Minas Gerais:
manifestação em Belo Horizonte, assembléia com indicativo de greve por tempo indeterminado e assembléias regionais preparatórias no interior.

Mato Grosso do Sul:
ato público em Campo Grande e também nas 13 regionais da FETEMS.

Mato Grosso:
greve por tempo indeterminado, na rede estadual de ensino.

Pará:
concentração às 9h, no CAN (Centro Arquitetônico de Nazaré), para caminhada em direção à Secretaria Municipal de Educação e ao CIG (Centro Integrado de Governo).

Paraíba:
paralisação estadual.

Pernambuco:
Panfletagem às 13h na Avenida Conde da Boa Vista e às 14h debate sobre os eixos da greve, na Faculdade de Filosofia do Recife (FAFIRE)

Piauí:
assembléias descentralizadas na rede estadual de Teresina e em cada Núcleo Regional.

Paraná:
caminhada, saindo da Praça Santos Andrade em direção ao Palácio das Araucárias, em Curitiba e uma audiência no Palácio das Araucárias (Sede do Governo).

Rio de Janeiro:
a mobilização vai envolver apenas a rede municipal. Manifestações na parte da tarde em diversos municípios do interior.

Rio Grande do Norte: assembléia às 14h, em seguida caminhada com ato no Centro de Natal.

Rondônia:
realizada passeata nas principais avenidas até o Palácio do governo, onde ocorrerá assembléia do SINTERO. Passeata nas ruas principais de onze municípios.

Roraima:
concentração, a partir das 8h, na Praça do Centro Cívico.

Rio Grande do Sul: manifestação em frente à Secretaria Estadual de Educação, em Porto Alegre. Nos 42 núcleos do CPERS haverá manifestações nas respectivas bases de atuação.

Santa Catarina:
a categoria está em greve por tempo indeterminado desde o último dia 5.

Sergipe:
lançamento da Campanha Salarial da Rede Estadual -2008 e à tarde, marcha estadual saindo às 14h, da Praça da Bandeira, no centro de Aracaju.

São Paulo:
assembléia estadual, na Praça da República, e manifestação em frente à Secretaria Municipal de Gestão, ambas às 14h.

Tocantins: concentração, com carro de som, a partir das 9h, na Sede do SINTET, em Palmas, onde será realizada palestra sobre Valorização Profissional e Piso Nacional.

Fonte: CUT
Publicado em 14/03/2008