A democratização da Mídia e a
criminalização dos Movimentos Sociais

Há 40 anos morria Che Guevara. Mais precisamente no dia 9 de outubro de 1967. Seria de se imaginar que a data representasse um marco para homenagens, lançamentos de biografias e filmes. Mas os setores conservadores da mídia brasileira, para marcar sua clara posição ideológica, promoveram na verdade uma ofensiva difamatória contra o líder revolucionário.

Em destaque a Revista Veja, que na Edição 2028de 3 de outubro de 2007, trouxe na capa uma reportagem, no mínimo mentirosa, sobre Che Guevara. Com o título: “CHE – A farsa do Herói – verdades inconvenientes sobre o mito do guerrilheiro altruísta, quarenta anos depois de sua morte”, a matéria despertou indignação e revolta de jornalistas, intelectuais e professores. Menos pela evidente deformação dos fatos, manipulação de informações e fontes contaminadas, e muito mais pela ideologia tendenciosa e preconceituosa que parece apenas refletir a linha editorial do veículo e de seus donos.

O discurso perverso e envenenado que criminaliza movimentos sociais, manipula dados e ridiculariza manifestações de classe, deixa clara a necessidade premente de expansão da comunicação no Brasil. É preciso que outros setores tenham voz e que sejam ouvidos. O diverso precisa ser exposto e a grande imprensa, e seu tal poder “formador de opinião”, deve ser contestada, retrucada à altura. Não pela via da censura ou mordaça, mas pela democratização da informação.

A luta é de todos!
Nesta luta, os Movimentos sociais brasileiros, juntamente com o Coletivo Intervozes e o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação foram às ruas no dia 5 de outubro para exigir democracia e transparência nos processos das concessões de rádio e TV.

A Campanha nacional sob o mote “Concessões de rádio e TV: quem manda é você” pretende discutir com a população o caráter público das concessões de rádio e TV e denunciar uma série de irregularidades praticadas pelas empresas na exploração do serviço de radiodifusão.

Muito além da discussão sobre as concessões, o que está sendo apresentado à sociedade brasileira é a necessidade de um processo efetivo de democratização dos meios de comunicação. Afinal, as arbitrariedades e práticas ilegais no uso das concessões se somam à ofensiva de criminalização dos movimentos sociais.

Por desejo, superação e obrigação moral, as mídias alternativas se manifestam, e têm se desenvolvido e conquistado respeito. Por isso, a CONTEE cumpre a sua parte, utilizando suas ferramentas de comunicação, especialmente o Portal na internet, para divulgar idéias, pensamentos e oferecer ao leitor/ internauta a diversidade de opinião, a outra versão dos fatos, o “lado de cá” da história.

Por isso, destacamos alguns textos interessantes que comentam a reportagem da Revista Veja. Leia. Vale a pena, aqui está o diverso:

"Che Guevara nas trilhas da revolução latino-americana"

por Augusto Buonicore -
historiador e mestre em Ciência Política pela Universidade de Campinas – Unicamp.

“Revista mira Guevara e dá tiro no pé”
por Celso Lungaretti - jornalista, escritor e ex-preso político

“Che Guevara e os mimos da família Civita”
por
Gilberto Maringoni – jornalista

Publicado em 05/10/07